quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Copacabana III

Pesquisei na internet em existem duas hipóteses para o nome Copacabana. Segundo a primeira, a palavra viria da língua quechua e significa lugar luminoso ou praia azul. Aposto nessa hipótese. A segunda hipótese considera Copabana uma palavra originária da língua aimará que significa "vista do lago" (kota kahuana). Quem conhece a praia de Copacabana sabe que não há como cometer tal equivoco. É mar aberto e forte. De acordo com o postado no site da Wikipedia, "na Bolívia, Copacabana é o nome dado a uma cidade situada às margens do Lago Titicaca, fundada sobre um antigo local de culto inca homônimo. Segundo a lenda, Nossa Senhora teria aparecido no local para um jovem pescador, que em sua homenagem esculpiu a imagem da santa que ficou conhecida como Nossa Senhora de Copacabana: a Virgem vestida de dourado pousada sobre uma meia-lua. Por ser patrona das águas, muitos navios espanhóis que saíam dos portos do Peru e Bolívia levavam cópias dessa imagem, e assim foi que uma delas veio parar no litoral carioca, fundando-se a antiga igreja de Nossa Senhora de Copacabana, construída por comerciantes espanhóis, na freguesia que originalmente se chamava Sacopenapã. Logo a paróquia cresceu em importância e o bairro adotou o nome quêchua, abandonando o antigo nome tupi."

6 comentários:

  1. Querido Marcelo
    Que linda declaração de amor por Copacabana.
    Estou me sentindo muito feliz de poder passar o final de ano por lá.
    Um beijo
    Margot

    ResponderExcluir
  2. Eu é que estou feliz de saber que você estará lá brevemente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Um dos meus primeiros registros de Copa foi ter atravessado a Barata Ribeiro com a Sá Ferreira, ali perto do túnel, e era uma aventura perigosa, porque os carros simplesmente apareciam do nada. Era estressante atravessar ali. E uma vez deixei minhas havaianas - eu calçava 20 e pouco -- no meio da rua. Lembro dos pneus dos ônibus em cima dela. Foi muito horrível. Meu pai foi correndo buscar a sandália suja de asfalto. Fiquei traumatizado e acho que até chorei. Caminhamos até a praia e meu pai comprou uma pandorga (pipa), aquela com forma de águia que se vendia muito na década de 60, para me acalmar. No ano passado dei uma caminhada e passei por ali. As favelas tomaram conta do morro em cima do túnel e as ruas continuam com aquelas incríveis amendoreiras que só o Riiiio tem. Grande cidade.

    ResponderExcluir
  4. Da Maia,

    Já tive o prazer da caminhar em Copa contigo e é visível o teu olhar inteligente e tua apreciação desse bairro tão eclético. Temos que fazer isso de novo. Abraço,
    Terráqueo

    ResponderExcluir
  5. Querido terráqueo teu blog é cheio de informações e comentários inteligentes.
    Adoro esta crõnica do cotidiano temperada com humor e sofisticação.
    As fotos estão lindas.
    Beijo, terraqueANA.

    ResponderExcluir
  6. E eu adoro ler teus comentários sempre tão carinhosos.

    ResponderExcluir

Encontrei seres