domingo, 17 de janeiro de 2010

Me dê a mão vamos sair para ver o Sol.

Vou fingir que é de manhã, que estou em um lugar lindo, verde, amplo, ensolarado, muito bem acompanhado, e que estou a ouvir as duas maiores cantoras que o Brasil já teve. Fico pensando, o que seria de mim se não fossem as músicas do Tom, a Gal, a Elis e a Betânia para me acompanharem nos momentos bons e tristes? Até mesmo quando cantam alguma música de fossa, fazem de uma forma tão linda que eu me distraio pensando no domínio da voz sobre cada nota, na harmonia perfeita, nas dissonâncias propositais, no talento absoluto dessas intérpretes, esquecidas e desprestigiadas até mesmo pela minha geração dos anos 60. Elas são arrasadoras. Agora o que vale no Brasil é a bunda music. É só isso que se vê e se escuta. Quando não é isso, são animadoras de festas pulando e gritando "axés" e "vamos lá minha genteee". Pena. Tirando algumas exceções como a Marisa Monte, a Adriana Calcanhoto, a Maria Rita, a Roberta Sá e o Caetano não vejo nada realmente talentoso. Por favor descubram mais Toms, Ritas, Caetanos, Chicos, Cazuzas, Cartolas, Noéis e Pixinguinhas. O que houve com o talento?

5 comentários:

  1. Querido Marcelo

    Quando estivemos na tua casa no Rio, logo vimos que teus Cds da Gal, Bethânia, Tom,... e os que falam do RJ haviam ido contigo. São belíssimas companhias. Quanto a talentos, tb não sei muito o que te recomendar. Atualmente descobri a música da Marisa Monte "A Sua" que nem deve ser nova, mas a letra me diz muito... Conhece? "Tô com sintoma de saudades tô pensando em Você....Sinto falta de você... Eu só quero que você caiba no meu colo porque Eu te adoro cada vez mais..." Acho que a letra cabe como uma luva para tuas postagens sobre o Rio. Vale a pena escutar, mesmo que já conheças.Bj. Margot

    ResponderExcluir
  2. Pois é meu querido. Andamos à mingua. Nem grandes intérpretes nem compositores. Temos que nos debruçar no passado.
    Mesmo estas de quem muito bem falasses, não é que andem com uma super nova produção. Assim sendo, vistamos a nostalgia e continuemos a ouvir os mesmos, com emoções renovadas ao menos.
    Mas você esqueceu do Lenine de quem gosto muito, e como intérprete gosto da Monica Salmazo.
    Ah e gosto das participações do Arnaldo Antunes tambėm.
    Sugestões : Paciencia e O dia em que faremos contato ou ainda Rosebud com o Lenine, e Minha Palhoça, Canario do Reino, Cabrochinha com a Monica. Estas interpretações deliciosas de velhas canções.
    Divirta-se.
    Marie

    ResponderExcluir
  3. Margot,

    Trouxe os meus CDs. Não quis correr o risco de ter alguma pane no computador e ficar sem as minhas músicas prediletas. Como estou muito só e não posso escutar as vozes dos meus amigos tão facilmente, pelo menos me socorro das nossas fantásticas cantoras Se não posso escutar coisas boas dos amigos, escuto pelo menos boas músicas. Adoro os compositores brasileiros, mas me incomoda um pouco o alcance curto das vozes dos homens. Acho nossas cantoras bem superiores. Claro que Caetano e João Gilberto não contam. Chegam a me dar arrepios de tão afinados e maravilhosos. Adoro essa música da Marisa Monte que você vem escutando e muito já escutei em outros tempos. Desde que cheguei venho escutando Carinhoso por ela com muita frequência. Somente não postei no Blog porque quando escuto pela Elis, fico em dúvida. Prefiro a voz da Elis, mas a Marisa cantando acompanhada apenas pelo violão do Paulinho da Viola está perfeita.

    Marie,

    O Lenine tem algumas coisas muito interessantes. É tão bom que tem pouco espaço na mídia. Acabei de escutar a Monica Salmazo e achei ela muito boa, com uma qualidade rara. Me chamou atenção que também ela teve que se socorrer de músicas de outras décadas. O que houve com os compositores brasileiros? Se nem a Gal nem a Betânia estão gravando coisas novas muito inspiradoras, imagine quem vai se lançar no mercado. Dificil esse final de século e novo começo de milénio para as artes, não é?

    ResponderExcluir
  4. Andei gostando de ouvir Vander Lee? Conhece?

    "Esperando Aviões

    Meus olhos te viram triste
    Olhando pro infinito
    Tentando ouvir o som do próprio grito
    E o louco que ainda me resta
    Só quis te levar pra festa
    Você me amou de um jeito tão aflito

    Que eu queria poder te dizer sem palavras
    Eu queria poder te cantar sem canções
    Eu queria viver morrendo em sua teia
    Seu sangue correndo em minha veia
    Seu cheiro morando em meus pulmões
    Cada dia que passo sem sua presença
    Sou um presidiário cumprindo sentença
    Sou um velho diário perdido na areia
    Esperando que você me leia
    Sou pista vazia esperando aviões

    Sou o lamento no canto da sereia
    Esperando o naufrágio das embarcações"

    ResponderExcluir
  5. Que lindo. Não conhecia. Acabei de escutar no Youtube.

    Beijo,

    Terráqueo

    ResponderExcluir

Encontrei seres