terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Quando sair de casa de manhã é uma fria, ou melhor, uma gelada.

Agora virou rotina. Além de tomar banho e fazer a barba, todos os dias tenho que perder uns 15 minutos raspando a neve e o gelo sobre o meu possante carro. A neve sai fácil, mas o gelo é bem trabalhoso. Para ganhar tempo, não me atrasar para as aulas de francês, e ver se fico parecido com o Père Noel, decidi deixar a barba crescer por uma semana. Na semana que vem mostro o resultado.
Possante.

Minha rua.

Vista do trabalho (os pomares de maçã me perseguem). Fugi da roça, mas sempre tem algo para me lembrar as origens.

2 comentários:

  1. Terraqueo krido,
    Este seu post parece a versão "chique sim", daqueles e-mails engraçados que rolaram na net, do cara que vai morar nos estranja, e no início vibra de excitação com a possibilidade de viver e ver a neve, (possibilidade para nós do sul deste país TROPICAL, não tão remota assim). E depois, a cada dia, seu diário vai mudando o tom até chegar ao total descontrole da criatura com as vicissitudes trazidas pela neve.
    Desculpa lá.
    Mas daqui do cinza e abafado calor de Curitiba, que no inverno é frio para Carvalho, sem nenhuma infra para suportá-lo, não dá para não achar lindas as tuas fotos e de certa forma invejar a tua situação definitivamente "chique", para os mortais Tupiniquins.
    Mas sei que não é fácil. Eu mesma não sei quanto tempo sobreviveria num lugar que tivesse muitos meses de dias curtos e escuros, embora já esteja uma vida nesse lugar cinza e chuvoso e longe do mar, que é Curitiba.
    Quanto ao Le Grand Colbert, tenho que confessar que da mesma forma, meu primeiro contato, foi no filme por ti citado. Fui logo para o Google e descobri tudo sobre ele. Mas isso foi na segunda vez que vi o filme (em casa no DVD que ganhei de presente de um laboratório) e daí vários amigos, como você, já tinham tido a mesma idéia e eu tenho que esperar minha próxima ida à Cidade Luz para conferir pessoalmente as maravilhas.
    Bem, chega.
    Esse meu comentário tá maior que o teu post e daqui há pouco vais me cobrar aluguel pelo uso de espaço no teu blog.
    Logicamente não precisas publicá-lo.
    Grande abraço e bom trabalho com os pomares as neves e as maravilhas de seu paraíso invernal.
    Beijão
    Marie

    ResponderExcluir
  2. Marie,

    Você pegou bem o espírito. Comecei postando no Blog meu entusiasmo pela neve, depois mostrei fotos dizendo que lá fora estava frio e aqui tão quentinho. Mas agora, não aguento mais a neve. Quero sol ou até mesmo a chuva. Morro de saudades das palmeiras imperiais com o calor de rachar do Rio. Beijo,

    Terráqueo

    ResponderExcluir

Encontrei seres