segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

O melhor Carnaval na Suíça está em "Orfeu Negro"

Os deuses afro-brasileiros ficaram com pena da minha tristeza por estar longe do Carnaval do Rio e resolveram me dar um presente. Hoje à tardinha fui a FINAC atrás de um dicionário eletrônico de francês e eis que encontrei um filme de 1959 que há muito eu sonhava ver, o "Orfeu Negro" de Marcel Camus, baseado na peça "Orfeu da Conceição" de Vinícius de Moraes. Simplesmente maravilhoso, só vendo para acreditar. Nessa versão a bela Eurídice foge para o Rio tentando escapar da morte que há muitos séculos lhes havia causado tanta dor e que agora a perseguia novamente, sob a forma de um homem fantasiado de esqueleto. Lá, durante o carnaval, redescobriu o amor de Orfeu, que todos os dias fazia o Sol se levantar cantando “Manhã tão bonita manhã...”. Ele jurou protegê-la, mas ambos eram marcados pela tragédia inevitável, e dessa vez ela foi morta pelo próprio Orfeu que tentava salvá-la. A morte então vai embora vitoriosa. Inconsolável, ele volta ao mundo dos mortos e a encontra no terreiro de Candomblé. Quando nos fundos do terreiro ela disse “Me amará o bastante para aceitar de me ouvir sem me ver?”, ele não acreditou, olhou para trás e a perdeu pela segunda vez. Desesperado, na quarta-feira de cinzas ele carrega o corpo de Eurídice para o morro a procura de um lugar para eles. A ex-noiva ciumenta o ataca e Orfeu e Eurídice despencam morro abaixo enquanto o sol se levanta. Obrigado Vinícius, obrigado Tom, obrigado Marcel Camus.

7 comentários:

  1. Que lindo. Já vi outras versões, mas essa parece muito legal. A música, sem dúvida é o que há. Adoro. Vinicius foi dos meus primeiros poetas e é infinito e " eterno" já que é moderno.

    ResponderExcluir
  2. Me dá vontade de me debulhar em lágrimas...

    ResponderExcluir
  3. A fotografia embora antiga é de uma beleza impressionante. Se você congela o DVD em qualquer cena é uma pintura. Às vezes me lembra Di Cavalcanti, às vezes Heitor dos Prazeres. As músicas como disse a Marie são o que há, e os textos são de chorar. É um filme para rever várias vezes. A Euridice é linda, fez muito bem o papel da famosa ninfa. E o Orfeu, que voz maravilhosa, aonde anda esse cantor? O que foi feito dele?

    ResponderExcluir
  4. darling a tristeza e a felicidade sempre tem algum fim um beijo, mas saber reconhecer ambos os momentos talvez só grandes poetas um beijo

    ResponderExcluir
  5. Você fez parte de alguns dos momentos mais felizes da minha vida e continuará fazendo. Beijos,

    Terráqueo

    ResponderExcluir
  6. Orfeu era um músico notável, um dos melhores da antiga Grécia, ele se apaixonou por Eurídice, uma bela moça que apaixonava os deuses e os humanos. Um dia ela tentava se afastar de um admirador e foi picada por uma cobra venenosa. A linda morreu na hora. Orfeu se desesperou e foi o único humano que conseguiu descer até o reino do deus Hades, o deus dos mortos, em seu reino (Tártaro) localizado no subterrâneo da terra (Gaia) para com ele fazer um trato de ressurreição da bela Eurídice. E conseguiu, mas sob uma condição, durante a viagem de volta à superfície da terra ele não poderia NUNCA olhar para Eurídice. E Orfeu estava tão enlouquecido de saudades da amada que não resistiu olhou para trás e viu Eurídice tombando morta pela segunda vez. Tadinho do Orfeu. Tadinha da Eurídice.

    Esse músico notável gostava tanto da moça que

    ResponderExcluir
  7. Maia,

    Essa lenda é uma das mais bonitas. Sou apaixonado por essa história. Mas quem conseguiria ficar perto do grande amor sem querer olhar?

    ResponderExcluir

Encontrei seres