terça-feira, 9 de março de 2010

80e Salon International de l'auto et accessoires

Quem me conhece sabe que não gosto de dirigir, não conheço as marcas dos automóveis, muito menos os modelos. Sou da teoria que dirigir um automóvel denota subdesenvolvimento, mesmo nos países ricos. Nas cidades realmente desenvolvidas deve existir um transporte público de qualidade. É muito mais fácil se mover de metrô em Londres, Paris ou Nova Iorque do que de carro. Até mesmo o Rio de Janeiro oferece para os felizes moradores da Zona Sul confortabilíssimos ônibus e um serviço de metrô. Sem falar que com as dificuldades para conseguir estacionamento e em razão da lei seca, é muito mais fácil sair à noite de taxi. Me acostumei com essa facilidade. Acho de coisa de pobre ter que ir ao posto de gasolina, levar o carro para lavar, frequentar oficinas, procurar um lugar quase impossível para estacionar, aguentar um flanelinha, e falar sobre o novo lançamento de um carro japonês ou coreano. Viver sem um carro para mim é um dos poucos luxos que me permito e que na verdade não custa caro no Brasil. Se analisarmos os custos de depreciação dos automóveis, manutenção, combustível e o trabalho que isso dá, esse é um luxo que vale a pena. Somente tenho um carro na Suíça porque o meu local de trabalho fica na roça, entre Lausanne e Genebra. Se eu trabalhasse dentro da cidade, jamais teria um carro. Para viajar gosto de trem ou de avião. É muito mais prático e seguro, principalmente na Europa em que os estacionamentos costumam ser pequenos e longe das principais atrações turísticas. No Rio de janeiro nossas estradas são muito perigosas, esburacadas e poluídas visualmente para que eu tenha prazer de frequentá-las. São cercas quebradas e placas publicitárias o tempo todo. Sem falar nos anúncios do tipo "vende-c esta casa" ou "boraxaria a 1km". Medonho de se ver quando comparadas com a beleza das estradas européias e norte-americanas em que há todo um cuidado com o paisagismo, sem qualquer material publicitário ou anúncios de mal gosto. Viajar nesses países vira um passeio. Porém essa minha teoria não se aplica ao mercado de luxo, do qual infelizmente não sou consumidor. Adoro os carros que dão sopa por aqui, até mesmo as Mercedes que são as preferidas dos motoristas de taxi. Principalmente na primavera, quando os suíços exibem suas Porsches e Ferraris. Mas eu babo mesmo são com os carros mostrados no salão internacional de automobilismo em Genebra, e que esse ano está sendo um sucesso em vendas. Fico enlouquecido com o design e qualidade dos veículos. Esses seriam os carros que me fariam a cabeça. O resto, passo.



Bentley


Bentley


Spyker


Gumpert


Bentley


Alfa Romeo





Lotus


Aston Martin


Rolls Royce


Bugatti


Lotus


Jaguar


Morgan


Renault


Hispano Suiza


Ferrari


Ferrari


Ferrari

Os carros abaixo são híbridos (elétricos)






4 comentários:

  1. Ao contrário de todas as previsões, sou boa motorista e gosto de dirigir. Nunca, nem em sonho, entrei em um carrão. O Batman jamais estacionou a caranga muito louca na frente do meu jardim. O Zorro até que me levou uma vez que outra para andar no corcel negro e selvagem. No final, escapei de ser Maria Gasolina, mas diante de um carro desses eu até vestia uma carapuçinha e saía por aí bem feliz para dar uma voltinha.

    ResponderExcluir
  2. Hummmmm, há pouco tempo.......uma Rolls.........., hummmm.....melhor não contar. Sou um cavalheiro.

    ResponderExcluir
  3. Ao contrário de voce, sou motorista e gosto de dirigir apesar das ruas esburacadas, dos assaltos nos sinais e de todas as dificuldades daqui. Concordo com voce nesse ponto mas sou apaixonada por carros, seus designs, suas curvas, suas cores, sua tecnologia etc.
    Tenho me deliciados com suas fotos, já que ir nesses locais para mim é apenas sonho de consumo.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei muito feliz com sua nova visita. Um dos lugares em que tive imenso prazer em dirigir foi na estrada entre Salvador e a Praia do Forte. Linda de morrer, passei por Villas e Arembepe no caminho. Todavia, como não entendo de carros, somente aprendi a ligar o ar condicionado quando já estava na hora de devolver o carro para a locadora no aeroporto.

    ResponderExcluir

Encontrei seres