quinta-feira, 4 de março de 2010

Prochain Arrêt: "Budapest"

Vou a procura de Sándor Márai. Se alguém puder me dar uma dica dos lugares importantes mencionados em seus livros, por favor me ajude.


"O Ideal da Amizade

A camaradagem, o companheirismo, às vezes, parecem amizade. Os interesses comuns por vezes criam situações humanas que são semelhantes à amizade. E as pessoas também fogem da solidão, entrando em todo o tipo de intimidades de que, a maior parte das vezes, se arrependem, mas durante algum tempo podem estar convencidas de que essa intimidade é uma espécie de amizade. Naturalmente, nesses casos não se trata de verdadeira amizade. Uma pessoa imagina que a amizade é um serviço. O amigo, assim como o namorado, não espera recompensa pelos seus sentimentos. Não quer contrapartidas, não considera a pessoa que escolheu para ser seu amigo como uma criatura irreal, conhece os seus defeitos e assim o aceita, com todas as suas consequências. Isso seria o ideal. E na verdade, vale a pena viver, ser homem, sem esse ideal?

E se um amigo falha, porque não é um verdadeiro amigo, podemos acusá-lo, culpando o seu carácter, a sua fraqueza? Quanto vale aquela amizade, em que só amamos o outro pela sua virtude, fidelidade e perseverança? Quanto vale qualquer afecto que espera recompensa? Não seria nosso dever aceitar o amigo infiel da mesma maneira que o amigo abnegado e fiel? Não seria isso o verdadeiro conteúdo de todas as relações humanas, esse altruísmo que não quer nada e não espera nada, absolutamente nada do outro? E quanto mais dá, menos espera em troca? E se entrega ao outro toda a confiança de uma juventude, toda a abnegação da idade viril e finalmente oferece a coisa mais preciosa que um ser humano pode proporcionar a outro ser humano, a sua confiança absoluta, cega e apaixonada, e depois se vê confrontado com o facto de o outro ser infiel e vil, tem direito de se ofender, de exigir vingança? E se se ofende e grita por vingança, era realmente amigo, o traído e abandonado? "

Sándor Márai, in "As Velas Ardem Até ao Fim"

3 comentários:

  1. Não conheço Budapeste. Sei que em um dos parques da cidade que talvez fique na beira do Danúbio existe uma escultura em homenagem ao escritor anônimo. No filme Budapeste sobre o livro do Chico Buarque (o filme e o livro são ótimos e recomendo) tem uma cena dessa escultura. Boa viagem e aproveita. Ah, e nos traga boas fotos e comentários, como de costume.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que uma visita ao Museu de Belas Artes de Budapeste deva ser imperdível. Se for, me conte. Boa viagem!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelas dicas. Vou fazer as duas coisas.

    Abraços,

    Terráqueo

    ResponderExcluir

Encontrei seres