quarta-feira, 21 de abril de 2010

Mozart L'Opera Rock

Minha única crítica a Paris era a falta de musicais. Nunca entendi uma cidade famosa pela sua Ópera e pelos shows em Cabarets, perder para Londres, Nova Iorque e até para o Rio de Janeiro, no quesito musicais. Depois de assistir a Mozart, essa noite em Genebra, calo a minha boca. Quando os franceses resolvem meter para quebrar, não sobra para quase ninguém, pois Billy Elliot continua sendo imbatível pela poesia da história.

Mozart L’Opera Rock é o máximo. Os cenários são imensos, o elenco conta com cinquenta artistas (atores, cantores, bailarinos), e mais 10 músicos caracterizados no palco. Não consigo imaginar os palcos dos charmosos teatros Londrinos ou de Nova Iorque comportando cenários tão grandes e um grupo de artistas desse porte. Os cenários, figurinos e a iluminação, ultrapassam tudo o que jamais vi, até mesmo em filmes. A mistura do figurino de época e da música clássica, com figurinos modernos e com o Rock, combinados por efeitos especiais fantásticos, tornam esse musical imperdível. Em termos técnicos superam com folga o visto nos musicais em cartaz.

A história mostra Mozart aos 20 anos de idade, partindo de Salzburg para poder criar com liberdade, uma vez que o príncipe queria interferir na sua obra e menosprezava suas músicas. Suas primeiras tentativas de se estabelecer foram na Alemanha e em Paris, mas ele não agradou o público da época e foi obrigado a ir embora. Somente em Viena conheceu o sucesso, que durou pouco graças às intrigas e a inveja do Salieri que, ao mesmo tempo que amava sua obra, queria destruí-lo. Mozart também não era fácil, queria encenar em Viena a Ópera Bodas de Fígaro que foi um escândalo em Paris, por criticar a nobreza, e que era tida como favorável a revolução francesa. A peça também mostra sua relação com a mãe que o acompanhou incondicionalmente em suas perigrinações até que morreu na maior "misère" em Paris (seu pai o culpou pela morte da mãe), o pai autoritário, e sua relação com Aloysia Weber, sua grande paixão, e com Constance Weber, sua esposa e irmã de Aloysia, com quem teve 6 filhos. Termina com a morte de Mozart aos 35 anos de idade enquanto compunha seu famoso Réquiem que, para alguns, teria sido encomendado pelo próprio Salieri.

Mozart não foi apenas um menino prodígio, um gênio da música, mas de uma certa maneira foi também o primeiro Rock Star que se tem notícias. O papel de Mozart é interpretado por Mikelangelo Loconte e o do Salieri por Floret Mothe, que quase rouba a cena. Esse grupo original está em Tournée mundial e volta a Paris a partir de novembro de 2010. Sensacional, é pouco para eles. A música abaixo é cantada pelo Salieri (Floret Mothe). Le bien qui fait mal

Mais d'où vient
L'émotion étrange
Qui me fascine
Autant qu'elle me dérange
Je frissonne poignardé par le beau
C'est comme
Dans l'âme le couteau
La blessure traverse mon cœur
Et j'ai
La joie dans la douleur
Je m'enivre de ce poison
À en perdre la raison

[Refrain]:
C'est le bien qui fait mal
Quand tu aimes
Tout à fait normal
Ta haine
Prend le plaisir
C'est si bon de souffrir
Succombe au charme
Donne tes larmes

C'est le bien qui fait mal
[Qui fait mal]
Quand tu aimes
Tout à fait banal
[Ce bien qui fait mal]
Ta peine
Les vrais délices
Passent par le supplice
Baisse les armes
Donne tes larmes

Je ressens
De violentes pulsions
J'ai l'impression
De glisser vers le fond
Si j'ignore
D'où vient ce fléau
J'adore
L'avoir dans la peau
Envoûté par des idées folles
Soudain
Mes envies s'envolent
Le désir devient ma prison
À en perdre la raison

[Refrain]

Je ressens
De violentes pulsions
J'ai l'impression
De glisser vers le fond

[Refrain]

Fiz uma versão, bem sofrível, para o português.

Mas da onde vem
A emoção estranha
Que me fascina
Assim como ela me incomoda
Tremo esfaqueado pelo belo
É como
Dentro da alma a faca
A ferida atravessa meu coração
E eu tenho
A alegria na dor
Eu fico bêbado deste veneno
A perder a razão

[Refrão]:
É o bem que faz mal
Quando você ama
Perfeitamente normal
Seu ódio
Tem o prazer
É tão bom sofrer
Sucumbir ao charme
Dê suas lágrimas

É o bem que faz mal
[Quem faz mal]
Quando você ama
Perfeitamente banal
[Este bem que faz mal]
Sua tristeza
A verdadeira delícia
Passar pela tortura
Baixar as armas
Dê suas lágrimas

Eu sinto
Impulsos violentos
Eu tenho a impressão
De arrastar para o fundo
Se eu não sei
De onde vem esse mal
Eu adoro
Ter sob a pele
Envolvido por idéias loucas
De repente
Meus desejos voam
O desejo se torna minha prisão
A perder a razão

[Refrão]

Eu sinto
impulsos violentos
Eu sinto
Arrastar para o fundo

[Refrão]

O Mozart canta no clip abaixo. Divine, qu’on dit de libertine
ce soir je viens
m’inviter dans ton lit.

Laissons dormir les maris,
allons nous aimer
au nez des braves gens.

J’apprendrai ta langue
et ton accent
pour te comprendre.

Je serai frivole
et décadent
pour te surprendre.

[Refrain]
Tatoue-moi sur tes seins
fais-le du bout de mes lèvres.
Je baiserai tes mains,
je ferai que ça te plaise.
Tatoue-moi sur tes murs
un futur à composer.
Je veux graver toutes mes luxures
sur tes dorures.


Sortons bras dessus bras dessous
Et n’ayons crainte
de leur vil arrogance.
Allons chez les bourgeois
siffler leur vin
taquiner leur conscience.
Que m’importe les rires et les regards
sur mes travers.
Ils sont ma richesse, mon étendard
ils sont ma terre.

[Refrain]
Tatoue-moi sur tes seins
fais-le du bout de mes lèvres.
Je baiserai tes mains,
je ferai que ça te plaise.
Tatoue-moi sur tes murs
un futur à composer.
Je veux graver toutes mes luxures
sur tes dorures.
Te tatouer sans mesure.


Laisse-toi tomber dans mes bras
glisse-moi sous tes draps
dérivons jusqu’à l’outrance.
Chantons pour les bienséants
les délices de l’indécence.

[Refrain]
Tatoue-moi sur tes seins
fais-le du bout de mes lèvres.
Je baiserai tes mains,
je ferai que ça te plaise.
Tatoue-moi sur tes murs
un futur à composer.
Je veux graver toutes mes luxures
sur tes dorures.


Tatue-me
Divino, dizem Libertino
hoje eu venho
convidar-me ao seu leito.

Deixemos os maridos dormir,
vamos nos amar
No nariz de bravos guerreiros.

Eu aprenderei a tua língua
e teu sotaque
para compreender-te.

Eu serei frívolo
e decadente
para surpreender-te.

[Refrão]
Tatue-me em seus seios
Faço-o com a ponta dos meus lábios.
Eu beijarei tuas mãos,
Eu farei que isso te dê prazer.
Tatue-me em suas paredes
Um futuro a compor.
Eu quero gravar todos os meus desejos,
Sobre teus dourados.

Vamos ir de braço dado
E não tenhamos medo
da sua arrogância vil.
Vamos à burguesia
tomar seu vinho
Perturbar sua consciência.
Que diferença faz o riso e seus olhares
sobre meus defeitos.
Eles são a minha riqueza, meu estandarte,
eles são o meu mundo.


[Refrão]
Tatue-me em seus seios
Faça-o com seus lábios
Eu beijarei tuas mãos,
Eu farei que isso te dê prazer.
Tatue-me em suas paredes
um futuro a compor.
Eu quero mais gravar os todos os meus desejos,
sobre teus dourados.
Te tatuar sem medida.


Mas deixe-te em meus braços cair
arraste-me debaixo dos teus lençóis
para obter o máximo.
Cante para os moralistas
As delícias da indecência.

[Refrão]
Tatue-me em seus seios
Faço- com seus lábios.
Eu beijarei tuas mãos,
Eu farei que isso te dê prazer.
Tatue-me em suas paredes
um futuro a compor.
Eu quero gravar os todos os meus desejos,
sobre teus dourados.

13 comentários:

  1. Terráqueo, parece ter sido um acontecimento de outro planeta!!!!

    ResponderExcluir
  2. E foi. Talento em doses maciças, aliado e uma mega produção que confesso nunca vi nos musicais de Londres ou Nova Iorque. Esse terráqueo ficou em órbita com tanta beleza.

    ResponderExcluir
  3. Este seu post está maravilhoso, me senti um pouco lá, assistindo e ouvindo, embora saiba que todo espetáculo precisa da emoção da gente ao vivo, ali, no momento. :-)

    ResponderExcluir
  4. Estou vendo os vídeos, ouvindo a música. Super giro, como dizem em Portugal :)

    ResponderExcluir
  5. caracas... DEMAIS! :D um abraço de um irm:. Mozartiano! :D fenelom@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela visita. Volte sempre.

    ResponderExcluir
  7. Oi Terráqueo, sou super fã do Mozart e acompanho pela internet, fico impressionada com a estrutura do espetaculo e a preparação dos atores que tem um histórico agradável. Me sinto triste por não poder assistir, mas só de ler seu post o meu coração se acalma.

    ResponderExcluir
  8. Olá.Já sou fã,e acompanho,Mozart l'opera rock a mais de um ano,e me impressionei ao saber que outras pessoas no Brasil curtem o espetaculo,o qual eu nunca tive a oportunidade de ver.Além de adorar as musicas,gosto muito de toda a troupe,especialmente de Maeva Meline e Melissa Mars.

    ResponderExcluir
  9. Elas são fantásticas. Quando a Melissa Mars entra, toda de azul, movendo-se em câmera lenta cantando Bim Bam Boum, é de arrasar. Inesquecível mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Sim! Tudo perfeito, não é mesmo? Eu tive a oportunidade de ver duas vezes e conseguir falar com os artistas. é tudo tão mágico e perfeito. Muito bem montado.

    ResponderExcluir
  11. Eu também quero ver novamente. Bem-vinda ao blog. Volte sempre por favor.

    ResponderExcluir
  12. Ola moro no Brasil e nem tem como eu ver esse espetáculo já que parou de ser exibido mais amo as musicas e sempre a espera da volta! E um lindo espetáculo tenho o DVD que tive que exportar do Canadá já que no Brasil não tem! Mais queria muito ter visto mas minha mãe não deixou já que eu tinha 16 anos e sair do pais não tem como mesmo mais gostei muito de seu texto e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  13. Esse show foi algo maravilhoso. Inesquecível, mas não fique triste porque você é jovem e tenho certeza ainda assistirá a maravilhas. Muito obrigado pelo elogio ao Blog.

    ResponderExcluir

Encontrei seres