quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tortura Psicológica

Não se deve torturar alguém porque viveu outros amores. O que importa é o sentimento presente, a vontade de um futuro juntos. Ciúmes já é terrível, mas daquilo que não existe mais é tortura.

4 comentários:

  1. Eu tenho pavor de gente grudenta, gente que faz pergunta sobre o passado, gente que quer saber o que eu estou pensando, o porquê de eu não ter ligado ou feito isso ou aquilo. E se tenho pavor, logo, não tolero.

    ResponderExcluir
  2. Grande bípede. Também não tolero, mas geralmente as pessoas somente se apresentam quando já estão seguras do nosso afeto. Apaixonados, tentamos nos iludir que o ciúmes vai passar com o tempo, que a relação irá melhorar, o que na prática não acontece. O ciúmes doentio só termina quando o amor acaba, por mais que tentemos assegurar que o nosso amor é real. A vantagem de ficarmos mais velhos é que aprendemos a reconhecer essas pessoas mais facilmente, e se usarmos a inteligência fugimos delas a tempo.

    ResponderExcluir
  3. "O ciúme lançou sua flecha preta
    e se viu ferido justo na garganta..."

    Sempre achei o ciúme um sentimento inútil, por isso quando ele se apresenta, mesmo que fraquinho, pois ninguém é de ferro, boto logo pra correr. Pra que ficar perdendo tempo com algo que só faz sofrer? A quem sente e ao que é objeto do ciúme?
    Já vi muita gente terminar amizades, sofrer e fazer sofrer horrores por causa dele. Portanto, disconjuro, pé de pato mangalô,trêis veis, sai pra lá coisa ruim!
    Bjs
    PS: como vão os joelhos?

    ResponderExcluir
  4. Disconjuto é ótimo. Os joelhos vão melhorando. Já acho estranho não sentir tanta dor. Parece que há algo errado. Beijos,

    Terráqueo

    ResponderExcluir

Encontrei seres