sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Arrependimento

Sem muitas palavras, e sem indesejáveis perguntas sobre a vida pessoal, foram os dois para um hotel, sem imaginar o que lhes aconteceria. Após rápidos momentos de prazer, ele estava pronto para partir, quando ela, para resgatar sua auto-estima, puxou um papo, mencionou ser casada, a profissão do seu marido, e a rua em que residiam, pedindo discrição se por ventura se reencontrassem. Imediatamente ele percebeu que o marido era, na realidade, um bom amigo, e que provavelmente jantariam todos juntos nos próximos dias. A culpa e o arrependimento foram imediatos. Maldita hora.

14 comentários:

  1. E se ela tivesse ficado quieta? Apenas adiaria a culpa e o arrependimento? Os somaria à surpresa? Complicado. Esse mundo é muito pequeno mesmo. Não dá nem pra trair direito...

    :)

    ResponderExcluir
  2. Renata disse bem, esse mundo é mesmo pequeno... Será que ao menos a noite valeu toda a confusão que está por vir? Será que um encontro, agora que ele sabe quem ela é, realmente acontecerá? Aguardo novas considerações... rs. (que virão, certo?)

    Abraço, meu caro!

    ResponderExcluir
  3. Aguardem os próximos capítulos.

    Abraços,

    Terráqueo

    ResponderExcluir
  4. E bota embaraçosa nisso!
    E se o marido fosse um inimigo?
    Haveria arrependimento ou (in)disfarçado prazer?
    Como vai você?
    Tenho andado ausente do blog, muito trabalho, espero voltar à ativa logo.
    Bjs
    Lúcia

    ResponderExcluir
  5. Lúcia,

    Senti tua falta.

    Respondo tua pergunta com outra resposta: Para o marido, é pior ser traído com um amigo ou com um inimigo?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Acho que ser traído pelo amigo dói mais. Do inimigo espera-se a traição, quando vem do amigo carrega duas traições. Perde-se a mulher e o amigo (em alguns casos rs).

    PS: terminei de ler o livro Comer, Rezar e Amar, após quase ter desistido da leitura por duas ou três vezes. Quando cheguei na página 285, que trata da parte Amar, lembrei-me de você, pois estava escrito: "- Querida, sou do sul do Brasil. Sou capaz de ficar com o coração partido durante dez anos por causa de uma mulher que nem cheguei a beijar."
    Achei forte até como figura de linguagem, mas poderia ser verdade? Com a palavra um homem do sul do Brasil:

    ResponderExcluir
  7. Os gaúchos são muito românticos, e seus corações partidos demoram anos até se colarem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Puxa, que difícil... Se esse encontro servir para resgatar um amor em cheque, talvez as coisas, no final, se ajeitem. O problema é quando um encontro casual vira um caso, um romance... Ansiosa pelos capítulos posteriores!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Sabe-se lá o que o futuro reserva para esses personagens.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Traição é uma palavra (e ato) engraçada.
    Quem trai, trai quem ou o quê?
    Ali se coloca sem dúvida um dilema um tanto quanto Edipiano.
    Ele não sabia. Quem, na verdade, está sendo mais traído ou traidor ali?
    Quanto caminho, querido Terráqueo.
    Você evoluiu muito. Num pequeno texto a quintessência da tragédia grega. A cegueira trágica e a revelação.
    Saudades meu amigo.
    Um grande beijo
    Marie

    ResponderExcluir
  11. PS. O clip do Zeca merece um comentário à parte.
    Gosto muito dessa música e nessa versão super melô que ele fez, a escolha visual da pessoa que fez o clip está genial.
    Você sempre acha essas pérolas.

    ResponderExcluir
  12. Marie,

    Que saudades.. que bom que você voltou. Ganhei o meu dia com a tua visita. Muito obrigado pelo elogio. Um grande beijo,

    Terráqueo

    ResponderExcluir
  13. Trair é um negócio complicado. Dá um trabalho danado e eu não tenho muita paciência e memória para repetir as mentiras do mesmo jeito. Mas, confesso, há muitos (as) profissionais no ramo.
    O clip do Zeca é bom e a música melhor ainda.

    ResponderExcluir
  14. Traição é muito ruim sempre, e quase sempre machuca todos os envolvidos. Beijos.

    ResponderExcluir

Encontrei seres