sábado, 14 de agosto de 2010

Frio

Rajadas de vento cortam as paredes e derrubam as plantas do pequeno jardim. A temperatura cai rapidamente. O mar revolto parece que vai entrar pela porta e pelas janelas. O barulho das ondas é cada vez mais forte. Dentro de casa não há aquecedores, lareira, ou as velas que tanto aqueciam as noites do Leblon. O velho cuco enferrujado lembra que mais uma hora se passou.

10 comentários:

  1. Aqui o barulho do vento assusta, uiva que nem animal louco, não entendo o que diz, também, não falo a língua dos ventos..., e o frio invade.

    Bom domingo pra você!

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Também não falo a língua dos ventos, mas de certo modo me agrada sua voz. O que me assusta, é o frio, aquele que é sentido mesmo nas noites de verão.

    ResponderExcluir
  3. Adoro essa música, me traz boas recordações. Gosto do frio, prefiro ao calor. Na Bahia só a duas estações: chuva e sol.
    Bjs
    Lúcia

    ResponderExcluir
  4. Darling, esse teu texto fez lembrar quando eramos crianças e iamos para a escola no frio das manhãs de Vacaria, aquilo sim é que era um terror, um beijo

    ResponderExcluir
  5. Nunca vi um frio tão forte como aquele. Chegava a doer para respirar.

    ResponderExcluir
  6. Lucia,

    Na cidade que eu nasci, somente havia duas estações: o inverno e a rodoviária. Bj.

    ResponderExcluir
  7. Chegando por aqui!
    Gosto de textos que falem das estações. Gosto de compartilhar essa mania de juntar o clima aos nossos gestos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Eliana,

    Você é muito bem-vinda. Por favor volte sempre. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Obrigado Ivone. O teu carinho sempre ameniza o frio do inverno.

    ResponderExcluir

Encontrei seres