quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Quando a fumaça toma conta

Um dia frio de sol, passos rápidos, o Senna, um vinho no Le Grand Colbert, um olhar prolongado, tornando-se memórias esfumaçadas pelo passar dos dias.



Que reste-t-il de nos amours

O que restará do nosso amor
Que reste-t-il de ces beaux jours

O que restará daqueles dias bonitos
Une photo, vieille photo

Uma foto, velha foto
De ma jeunesse

Da minha juventude
Que reste-t-il des billets doux
O que restará dos bilhetes doces
Des mois d' avril, des rendez-vous
Do mês de abril, dos encontros

Un souvenir qui me poursuit
Sans cesse
Uma lembrança que me persegue sem cessar

Bonheur fané,
Felicidade debotada
cheveux au vent

Cabelos ao vento
Baisers volés,
Beijos roubados
rêves mouvants
Sonhos que se movem

Que reste-t-il de tout cela

O que restará disso tudo
Dites-le-moi

Diga-me
Un petit village,
Uma pequena cidade
un vieux clocher
uma velha torre
Un paysage si bien cache
Uma paisagem tão bem escondida
Et dans un nuage le cher visage
E em uma nuvem a querida face

De mon passé
Do meu passado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Encontrei seres