segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Windmills of your mind

E o seu nome gira como moinhos na minha cabeça.



Round, like a circle in a spiral
Like a wheel within a wheel.
Never ending or beginning,
On an ever spinning wheel
Like a snowball down a mountain
Or a carnaval balloon
Like a carousell that's turning
Running rings around the moon

Like a clock whose hands are sweeping
Past the minutes on it's face
And the world is like an apple
Whirling silently in space
Like the circles that you find
In the windmills of your mind

Like a tunnel that you follow
To a tunnel of it's own
Down a hollow to a cavern
Where the sun has never shone
Like a door that keeps revolving
In a half forgotten dream
Or the ripples from a pebble
Someone tosses in a stream.

Like a clock whose hands are sweeping
Past the minutes on it's face
And the world is like an apple
Whirling silently in space
Like the circles that you find
In the windmills of your mind

Keys that jingle in your pocket
Words that jangle your head
Why did summer go so quickly
Was it something that I said
Lovers walking allong the shore,
Leave their footprints in the sand
Was the sound of distant drumming
Just the fingers of your hand

Pictures hanging in a hallway
And a fragment of this song
Half remembered names and faces
But to whom do they belong
When you knew that it was over
Were you suddenly aware
That the autumn leaves were turning
To the color of her hair

Like a circle in a spiral
Like a wheel within a wheel
Never ending or beginning,
On an ever spinning wheel
As the images unwind
Like the circle that you find
In the windmills of your mind

Pictures hanging in a hallway
And the fragment of this song
Half remembered names and faces
But to whom do they belong
When you knew that it was over
Were you suddenly aware
That the autumn leaves were turning
To the color of her hair

Like a circle in a spiral
Like a wheel within a wheel
Never ending or beginning,
On an ever spinning wheel
As the images unwind
Like the circles that you find
In the windmills of your mind

Em volta
Como um círculo em uma espiral
Como uma roda dentro de uma roda
Sem fim nem começando
Em uma roda sempre-girando

Como uma bola de neve abaixo uma montanha
Ou um balão de carnaval
Como um carrossel que está virando
Anéis correntes ao redor da lua

Como um relógio cujas mãos estão varrendo
Além dos minutos de sua face
E o mundo está como uma maçã
Girando silenciosamente em espaço

Como os círculos que você acha
Nos moinhos de vento de sua mente

Como um túnel que você segue
Para um túnel de seu próprio
Abaixo um buraco para uma caverna
Onde o sol nunca lustrou
Como uma porta que continua revolvendo
E um sonho meio-esquecido
Ou as ondulações do seixo
Alguém lança em um fluxo

Como um relógio cujas mãos estão varrendo
Além dos minutos de sua face
E o mundo está como uma maçã
Girando silenciosamente em espaço

Como os círculos que você acha
Nos moinhos de vento de sua mente

Chaves que tinem em seu bolso
Palavras que chiam em sua cabeça
Por que fez verão vá tão depressa
Era isto algo que você disse

Amantes caminham ao longo da costa
Pegadas partindo na areia
É o som de tocar tambor distante
Há pouco os dedos de sua mão

Quadros pendurados em um corredor
E os fragmentos de uma canção
Nomes e faces lembrados pela metade
Mas a quem pertencem eles?

Quando você soube que terminou
Você estava repentinamente atento
Que as folhas de outono estavam virando
Para a cor do cabelo dela

6 comentários:

Encontrei seres