sábado, 11 de dezembro de 2010

Dezembro

E chegou mais um dezembro de um ano gozado. E eu não te chamei e tu não me chamaste. E eu não te vi ao meu lado, e eu esqueci o teu rosto, teu gosto e a tua voz, mas não esqueci que alguma coisa existiu. E eu tentei lembrar de algo bom, mas também não foi possível. Nem as fotografias ajudaram, e eu fiquei desconcertado de perceber o tamanho do nosso equívoco, quantas coisas perdemos, e quão estranhos ficamos.

6 comentários:

  1. Algumas pessoas são mais que estranhas, são piradas mesmo, e a gente fica desconcertado porque a doença é invisível e o que os olhos não vêem é difícil de se digerir, mas a gente consegue, ah, consegue :)
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Essa descrição do sentimento ao ver dezembro chegar bem que podia ser a minha também. Mas nós, que precisamos de milagres, talvez precisemos também de deixar de tentar lembrar o que foi e desejar antes o que temos à nossa espera lá na frente.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Que o próximo dezembro lhe traga melhores e mais vivas lembranças.

    ResponderExcluir
  4. É, é sempre bom poder contar com as amigas e com a esperança de dias felizes. Muito obrigado a vocês três. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Há lembranças que parecem de uma outra vida...e às vezes é melhor que seja assim.
    Que o Papai Noel traga de presente pra você uma grande amor. Será um privilégio para quem ganhar você de presente.
    Mil beijos,
    Mel

    ResponderExcluir
  6. Ah, as perdas que sofremos durante uma vida... São tantas que às vezes temos a impressão que já vivemos várias vidas. Mas se perdemos é porque tivemos algo para perder, e se merecemos ter tido, podemos voltar a merecer... Que 2011 venha com sede de lhe fazer feliz!
    Bjs.

    ResponderExcluir

Encontrei seres