domingo, 12 de dezembro de 2010

Eu acredito em Papai Noel

O final do ano, sem a visita do Papai Noel, não seria a mesma coisa. Que maravilha um velinho gordinho, com barbas brancas, que usa uma roupa vermelha espetaculosa, que tem uma fantástica fábrica de brinquedos na Lapônia, e que viaja o mundo inteiro com seu trenó de renas, distribuindo presentes para todos, sem distinção, desde que naturalmente o presenteado tenha se comportado bem durante o ano e seja de família abastada. Mas o Natal não é só isso. É muito mais do que uma data comercial. O Natal é uma data religiosa, na qual as pessoas se reencontram, comemoram o nascimento de Jesus Cristo e refletem profundamente sobre Deus e o sentido da vinda do Messias à Terra. Um nascimento tão importante, que uma estrela imensa pairou sobre a mangedoura em que ele se encontrava, para indicar o caminho para os reis magos que foram lhe prestar homenagens. Um luxo só, não é mesmo? Nem o Papa no esplendor do Vaticano e de seus Ferragamos, nem a rainha da Inglaterra com seus palácios e jóias, e que são chefes das duas mais importantes igrejas, podem sonhar com algo parecido. Se Deus é brasileiro, Santo Antônio é casamenteiro, Iemanjá trás seu amor perdido em uma semana (se ela não tiver devolvido sua oferenda na beira da praia é claro), como é possível questionar a existência do Papai Noel? Os descrentes só não vêem o Papai Noel porque têm uma religiosidade pouca desenvolvida e não estão com o "coração aberto". São pessoas de poucas luzes e sem fé. A existência do velinho pode ser até provada cientificamente. Basta um bom cartão de crédito, um Shopping Center e, é lógico, um pouquinho de ectoplasma para que o espírito natalino chegue, o velhinho se materialize, e desça pela chaminé. Desse modo, tomado por um inabalável sentimento natalino, desejo para todos, inclusive para os que "find that hard to believe", um Feliz Natal e que o velinho não lhes falte. Aos totalmente descrentes, desejo que pelo menos aproveitem o feriado de Natal para dedicarem-se a outros prazeres, não tão ligados a religião assim.

5 comentários:

  1. ...muito acutilante e bem humorado, mesmo para uma crente, como eu :)
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Darling, todos os natais em que estivemos juntos, são as melhores lembranças de uma infância feliz, mesmo distantes Natal é sempre um pensamento em você.

    ResponderExcluir
  3. O Natal é uma festa sempre familiar. No meu caso, hoje, apenas uma festa de lembranças. Mas é uma festa bonita, cheia de luz e cor, presentes, champagne... E o velhinho tem um charme danado!

    ResponderExcluir
  4. Ivone, para mim também é uma lembrança bonita, e acredite, eu curto o velinho imensamente. Bjs.

    ResponderExcluir

Encontrei seres