segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O mergulho

Pela primeira vez em dois anos, completamente perturbado, sem controle da própria razão, encantado, feliz. Ciente de que poderá estar mergulhando em um mar perigoso, mas decidido a se aventurar. Mesmo assim, inexplicavelmente, abrir mão da lembrança de quem tanto se amou ainda lhe é um ato tão doloroso, estranho, triste.

3 comentários:

  1. Quem não arrisca não petisca! Não é essa a sabedoria popular?
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Nada melhor do que um novo amor num ano novo!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com vocês duas. É tempo de arriscar. Beijos.

    ResponderExcluir

Encontrei seres