quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Por que blogueamos?

O que nos faz escrever para o mundo sentimentos tão íntimos? Por que publicar na internet nossas vidas, nossas dores e anseios, ainda que de maneira cifrada? O que buscamos com isso? Estaríamos nos auto-afirmando, escrevendo para nós mesmos, fazendo uma terapia de grupo, pedindo a aprovação dos leitores, em busca de um reconhecimento de que nossas vidas e histórias pessoais podem ser interessantes, um entretenimento para centenas de pessoas, ainda que estejamos para lá de entediados e insatisfeitos? Ou será que a solidão e os medos de se machucar em conversas frente a frente são tamanhos, que acabamos por dedicar horas e horas de nossas vidas às relações virtuais, abrindo mão da nossa privacidade, expondo nossas histórias pessoais e de pessoas queridas, ou vivendo personagens distantes de nossas realidades? Talvez não seja nada disso. Confesso que não sei a resposta. Provavelmente escrevemos na internet porque gostamos de dizer o que pensamos sem a censura inerente ao olhar do outro, ou porque gostamos de reencontrar velhos amigos, de conhecer outras pessoas, que sofrem da mesma vontade de dialogar, escrever, tornar tudo público, oficial nas páginas de um blog, de um site qualquer. As respostas podem ser muitas, dependendo da realidade de cada um. Mas fico pensando o por quê de a sociedade moderna, que tanto lutou pela direito a privacidade, estar se expondo de forma tão compulsiva na internet. Beijos virtuais a todos.

5 comentários:

  1. Porque gostamos de nos exibir, porque "nos achamos", porque nos consideramos "os caras", porque temos necessidade de contar histórias, de dizer alguma coisa para alguém, qualquer alguém ou ninguém. Porque tudo e nada é a mesma coisa. Porque gostamos da nossa vida privada, mas tem horas que "enchemos o saco" dela. Porque somos sempre ambivalentes. Porque a vida é processo dialético neste mundo contraditório. E sempre nos deparamos com as testes, antíteses e sínteses. E somos obrigados -- ou não -- a fazer certas escolhas e opções. E no meio de toda essa angústia temos vontade de abrir a boca. Dizer a todos porque estamos aqui, o que sentimos, as fotos que tiramos e admiramos, as músicas que gostamos de ouvir, o que gostamos e o que detestamos, as prosas, as poesias e as nossas vãs filosofias. Acho que falei demais ou, talvez, de menos.

    ResponderExcluir
  2. Talvez não seja nada disso. Ou tudo isso, ou um pouco disso. Ótima reflexão.

    Abraço pra ti :)

    ResponderExcluir
  3. Bah, eu tenho blog porque é muito BOM :)

    ResponderExcluir
  4. Me pergunto tudo isso e ainda mais. Não consigo ter uma resposta.

    ResponderExcluir
  5. Queridos amigos, ainda não tenho certeza dos motivos pelos quais continuo blogueando. Tudo começou porque eu estava indo embora do Brasil e a bípede me incentivou. Agora virou quase uma terapia. Deixo o inconsciente fluir, sem medo de exposição. Também pude constatar que fiz excelentes amizades, todas com pessoas sensíveis e inteligentes. Só isso já bastaria. Beijos a todos.

    ResponderExcluir

Encontrei seres