terça-feira, 17 de maio de 2011

Luar do sertão

Do décimo-sexto andar, olho a janela e, no final de um Belo Horizonte, vejo uma constelação inteira de pequenas luzes a piscar no chão. Muito acima, brilha o luar do sertão a encher de sonhos corações que não sabem sequer por quê existem. Que poderosa é a Lua que, com sua face iluminada, permite aos apaixonados encontrarem-se sob o efeito de luares azuis, brancos, amarelos e vermelhos, apaga as distâncias, confunde o passado com o presente, e lembra que um futuro é possível.


3 comentários:

  1. Adoro a Bethania e adoro essa música. Acho a coisa mais linda :)

    ResponderExcluir
  2. Lua nua
    Lua branca
    Lua nova
    Lua eterna
    sempre lua
    qual fêmea sedenta
    mergulha no mar
    e implora...
    me toma
    deixa espalhar minha luz
    chegar na areia
    e dormir
    junto às estrelas...

    Escrevi este poema? há muito tempo, quando comecei a estudar com Edson Calmon, no curso de construção de livros. Lembrei dele ao ler este seu post e então aí está... Adoro a lua, vê-la nascer cheia, saindo do mar, é um espetáculo grandioso e sempre me deixa hipnotizada.

    ResponderExcluir
  3. Que poema lindo, também me deixou hipnotizado. Bjs.

    ResponderExcluir

Encontrei seres