quarta-feira, 8 de junho de 2011

Cena de entardecer

O entardecer chegara, e a rua estava fria e deserta para os padrões cariocas. Ele caminhava para casa, quando inesperadamente deu de cara com ela parada em uma esquina. Cautelosos, caminharam algumas quadras lado a lado em completo silêncio, sentido uma sensação de “déjà vu” e de aperto no coração. Ele queria que ela ficasse ou pelo menos dissesse alguma coisa, mas não sabendo o que dizer, olhou para ela e disse-lhe apenas “obrigado”. Ela respondeu “de nada”, mencionou que precisava correr para o aeroporto e partiu.

2 comentários:

  1. Doeu pensar em tudo que esse silêncio dizia! lindo demais.

    ResponderExcluir
  2. Esse silêncio por muitas vezes abafa tanto, amor, raiva, dor, saudades...

    ResponderExcluir

Encontrei seres