quarta-feira, 15 de junho de 2011

Graças a Deus, um problema a menos.

Após dois anos de separação, Dany-Nem recusava-se a sair de casa. Luiz não sabia mais o que fazer para livrar-se dela. Havia inclusive proposto pagar o aluguel de um conjugado em Copa, por um ano, para que a ex-companheira o deixasse respirar. Mas Dany-Nem, outrora conhecida por Waldir, não deixaria caminho livre para que outro pudesse tomar o seu lugar. Persistência era o seu forte, e graças a isso conseguiu tornar-se uma “dançarina” famosa, e até mesmo mudar seus papéis para que neles constassem seu nome artístico que, segundo dizia, estava escrito no “mais íntimo do seu eu interior”. Já o Luiz estava interessado em seguir com sua vida, em conhecer outras pessoas. Aos mais amigos, sempre repetia: “Maldita hora fui me envolver com a Dany-Nem”. Só que a Dany-Nem sabia demais, e o mantinha refém de uma terrível chantagem, cuja versão verdadeira jamais foi realmente esclarecida. Depois do ocorrido, houve boatos que ela conseguira gravar um vídeo de Luiz na cama com um dos mais importantes políticos cariocas, com pretensões presidenciais inclusive, e que ameaçava colocar o vídeo no “Youtube”, caso Luiz a abandonasse. Só que o Luiz não agüentava mais sequer ouvir a sua voz, e como o amor enche os apaixonados de coragem, ele finalmente procurou um advogado para obter uma medida liminar de separação de corpos e expulsar Dany-Nem de casa. E foi em plena aula de “Yoga”, que Dany-Nem foi intimada pelo oficial de justiça para que desocupasse a casa sob pena de prisão. Ao ler a intimação, Dany-Nem ficou histérica. Deu um empurrão no oficial, e saiu em disparada para casa. Ao chegar no edifício, o porteiro mostrou suas malas e disse-lhe que ela não poderia subir. Quando ele tentou detê-la, Dany-Nem deu uma voadora no pobre diabo, que chegou a perder um dente. Descontrolada, ela não esperou pelo elevador, e subiu os oito lances de escada com uma rapidez impressionante. Como a fechadura havia sido trocada, com a ajuda de um extintor de incêndio, ela arrombou a porta, entrou no apartamento, e fechou-se por dentro com a tranca de segurança. Furiosa, Dany-Nem derramou álcool na sala e tacou fogo. Ela iria morrer, mas ele não iria dividir seu sagrado lar com mais ninguém. Ainda com a boca sangrando, o porteiro conseguiu enfiar a mangueira do extintor pelo buraco que ela havia feito na porta e apagar o fogo. Mas ela estava decidida a ficar. Correu para o quarto, e disse que se eles tentassem entrar, iria colocar fogo nas cortinas. A essa altura, já havia uma multidão insandecida no pátio do prédio, esperando que a polícia e os bombeiros conseguissem acalmar e prender a fera. Diante das ameaças da polícia e dos bombeiros de que iriam entrar de qualquer forma, Dany-Nem correu para a sacada e colocou uma perna para fora, ameaçando se matar. Para sua surpresa, a multidão inteira começou a gritar em altos brados: “- Pula! Pula!”. Só lhe faltava essa, não havia qualquer bondade nos seus vizinhos. Bem que ela sempre achara que eles não prestavam mesmo. Estavam preocupados apenas em resguardar seu patrimônio. Exausta e com náuseas, Dany-Nem não sabia mais o que fazer. Decepcionada com a reação da platéia, que passara a lhe chamar de “Lacraia! Bruaca! Cachorra!”, Dany-Nem berrou: “- Agora vocês me pagam. Vou tacar fogo em tudo! Vocês vão ficar todos na miséria!”. A multidão recuou, e começou a berrar “- Divina! Divina! Divina!”. Dany-Nem adorou, sentiu-se poderosa, no controle novamente, e desatou a falar. Disse-lhes que iria contar sua triste história, e por quem fora trocada, assim que a imprensa chegasse. Para distraí-la, um rapazote começou a dizer que gostava dela, que já a havia assistido em um show na "Le Boy", que trabalhava na TV, e que arrumaria inclusive uma participação para ela no próximo Reality Show. Ingênua, Dany-Nem se distraiu, e não percebeu que do alto do edifício desciam dois bombeiros enormes para capturá-la. Ela estava quase nas mãos dos bombeiros, quando olhou para cima, se assustou, e caiu oito andares. O silêncio foi absoluto. Há quem jure que em um derradeiro gesto apaixonado, ela berrou o nome “Luiz” durante a queda. Como a vida continua, Luiz vendeu o imóvel, mudou-se para um elegante condomínio de casas, e vive alegremente com seu novo companheiro que, segundo as pesquisas, será brevemente Senador da República. Dizem as más línguas, que quando ele soube do final de Dany-Nem, exclamou: “Graças a Deus, um problema a menos”.

3 comentários:

Encontrei seres