domingo, 11 de setembro de 2011

Esses amores (Ces amours -là)

A homenagem que Claude Lelouche faz ao cinema resulta em um dos filmes mais lindos que eu vi nos últimos anos, bem verdade que a exceção dos filmes do Almodóvar e do Woody Allen, e de algumas honrosas exceções (geralmente diretores italianos ou argentinos), não vi nada realmente excepcional desde "Out of Africa", que é de 1985. Voltando ao filme, "Esses amores" é uma obra-prima. Embora fale de emoções o tempo todo, conte a história de várias gerações, o que é a cara do Lelouche, não cai no clichê, e tampouco deprime, ainda que em algumas cenas seja impossível não se emocionar pela sensibilidade dos diálogos, e pela trilha musical e fotografia reunidas em uma interpretação primorosa de todos os atores. Lelouche é um gênio. Sua personagem principal serve-lhe como alterego e é através dela que ele mostra a razão do seu amor pelo cinema, que o levou a realizar obras-primas como "Um Homem e uma mulher" e "Retratos da Vida". Valeu ir ao cinema. Está em cartaz no Rio e nas principais capitais.

‎"O amor é uma longa viagem cuja volta é mais cara que a ida."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Encontrei seres