sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Trinta anos esta noite (Le Feu Follet) - Lois Malle

Esse filme existencialista , de 1963, cuja tradução literal seria "Fogo Fátuo" não envelheceu. Narra com maestria os últimos dias que antecedem ao suicídio de um homem que ao sair de uma clínica de alcoolismo, resolve visitar seus amigos. Tem algumas frases maravilhosas:

"O que eu amo nos homens não são suas paixões, mas o que essas paixões produzem."

A melhor delas é a do bilhete de despedida, cujo conteúdo deve ter rendido muitos debates psicanalíticos:

"Eu me mato porque não me amaram, porque não os amei. Eu me mato porque nossos vínculos eram fracos, para fazê-los fortes. Deixo a vocês uma marca indelével."

A fotografia e a trilha sonora são belíssimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Encontrei seres