sábado, 4 de agosto de 2012

Maria Rita homenageia Elis

Não deve ser fácil ser filha de um mito. Especialmente quando esse mito saiu de cena muito cedo e no auge da carreira. As comparações são inevitáveis, e há aqueles que por idolatria não admitem que alguém possa se assemelhar e até ser melhor e, ainda pior, há aqueles que não entendem as diferenças e como elas são importantes, sem falar nos invejosos e nos que acham bonito ser blasé. Mas a Maria Rita não herdou apenas a voz, o talento descomunal, o gestual e o carisma da mãe, herdou também a coragem de soltar a voz e de se fazer ser ouvida. Com a homenagem que presta a sua mãe com essa turnê, em que canta exclusivamente musicas que foram eternizadas na voz de Elis, ela não apenas reverencia a maior cantora que o Brasil já teve, consola toda uma geração que juntamente com ela se sentiu órfã de Elis, mas também divide com o público o emocionante e tão desejado encontro entre mãe e filha. Impossível não sentir a presença de Elis na voz, no rosto, nos gestos de Maria Rita, e não ficar tocado. Amei esse show. Nesse fim de semana ainda haverá mais duas apresentações no Citibank Hall, no Rio de Janeiro. A produção é simples, de bom gosto, e o show flui naturalmente, cristalino como a voz das duas. O que vale é a musica, a voz de timbre singular e afinada, o encontro, a vontade da filha de estar com a mãe. Inesquecível.

3 comentários:

  1. Que bom que tivestes este privilégio. A gente percebe que as pessoas nunca morrem- ficam nos gestos e palavras dos filhos-não é?
    Assisti o show no Anfiteatro do Por do Sol aqui na terrinha e foi lindo.
    Tua postagem está ótima.
    Bjos da Tia.

    ResponderExcluir
  2. Tia Quiteria entendi o carinho do teu comentário. Obrigado. Esse show na beira do Guaíba deve ter sido sensacional. Se eu tivesse que apostar em alguma pessoa que tivesse assistido esse show em Porto Alegre seria em você mesma. Bjs.

    ResponderExcluir

Encontrei seres